quinta-feira, 25 de julho de 2013

O GATO # 2


Olá amigos, hoje temos mais uma raridade da década de 60, onde podemos verificar a capacidade e o talento dos artistas brasileiros da Arte Sequencial.
Criado em 1967 por Rubens Francisco Lucchetti e Eugenio Colonnese, O Gato era produzido pelo estúdio D'Arte e publicado pela pequena editora paulista, que se localizava na Rua Espírita, 70 em São Paulo do proprietário José Sidekerkis: Jotaesse Editora.
O GATO foi um personagem dos anos 60 que teve como fonte de inspiração os filmes de James Bond, que fizeram um grande sucesso na época, inclusive o traço gráfico lembrava o ator Sean Connery. O Gato era um agente da inteligência brasileira. 
A revista do espião brasileiro teve apenas quatro edições. Das quatro edições três delas tiveram o roteiro de Luis Meri, e a presente edição de # 2 o roteiro foi de Rubens F. Lucchetti, os dois roteiristas aproximavam do 007, o espião inglês. Mas, no inconsciente coletivo o publico leitor não deu muita importância para o nosso herói, e assim ele desapareceu e nunca mais foi publicado.
Uma grande perda pois as tramas criadas pelos dois roteiristas eram muito boas, e o nível das ilustrações de Colonnese, eram muito superiores do que a de muitas publicações estrangeiras, sem falar da belíssima capa pintada por Eugenio Colonnese.
O texto desta postagem foi elaborado pelo grande catalogador do quadrinhos brasileiros Lancelotti, parabéns amigo.
O Crédito desta edição, é do grande preservador da memória dos quadrinhos: Alvarez que tanto material tem fornecido para os blog de scans de quadrinhos, grato amigo!
Então vamos lá, é só clicar na hiperligação e baixar esta "belezura" da Era do Ouro dos quadrinhos brasileiros.



4 comentários:

  1. Excelente !
    Tenho 55 anos e me lembro vagamente de ter essa edição em mãos.
    É muito bom relembrar a infância, ainda que em flashes, através dos gibis antigos.
    Obrigado por disponibilizar.
    Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo CAAC,
      Fico feliz de saber que o blog está atingindo seu objetivo, que é exatamente proporcionar as pessoas a oportunidade de rever aqueles gibis que fizeram nossa infância feliz.
      Grato pelo comentário e um Grande Abraço
      Sabino

      Excluir
  2. E volto a parabenizá-lo pelos comentários ilustrativos, Sabino.
    Não acho que seja possivel fazer o mesmo em relação aos gibis atuais porque o que sobra em HQ (High Quality) falta em HQ (História em Quadrinhos). Confuso, né?
    Abs,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi CAAC,
      Eu entendi perfeitamente e concordo 100% contigo, hoje temos revistas de alta qualidade, com os recursos digitais, mas realmente falta em HQ, que hoje infelizmente são puramente comerciais, principalmente as grandes norte-americanas que matam, ressuscitam os heróis, criam sagas e mais sagas, uma desbancando a outra, a Nona Arte deixou de ser arte, para se transformar só num grande negócio.
      Abração
      Sabino

      Excluir